Guincho Pandion haliaetus

Espécie residente e considerada rara em Cabo Verde, o Guincho ou Águia-pesqueira, é a única espécie pertencente à família Pandionidae. Apesar do seu tamanho, o seu corpo esguio, asas pontiagudas e pernas compridas, estão perfeitamente adaptados à captura de peixe por mergulho, com taxas de sucesso que rondam os 70%.

  • Estatuto de conservação
    Estatuto de conservação

    Pouco Preocupante

  • Habitat
    Habitat

    Zonas costeiras, lagos, rios e pântanos

  • Distribuição
    Distribuição

    Espécie residente

  • Tamanho
    Tamanho

    Comprimento 54-58 cm; Envergadura 150-180 cm

  • Peso
    Peso

    1,7 Kg

Os Guinchos são bastante versáteis nos habitats que ocupam, desde que estes sejam próximos de algum corpo de água. Primariamente solitários, apenas se juntam para procriar, defendendo o seu território de potenciais invasores. As posturas variam entre 1 a 4 ovos, que eclodem com alguns dias de intervalo. À semelhança de outras espécies de rapina, o irmão mais velho monopoliza o alimento que em períodos de escassez, pode conduzir à morte do(s) irmão(s).

Esta espécie está particularmente vulnerável à perseguição humana, sendo a colecta de ovos e roubo de crias dos ninhos uma atividade frequente. Não se adaptando ao cativeiro, estes indivíduos estão condenados a morrer devido ao stress, doença ou mal nutrição. A perda de habitat de nidificação, poluição por pesticidas e caça tem conduzido muitas populações de Guincho ao declínio. Tristemente os efeitos da poluição costeira são uma causa de morte crescente, sendo frequente a morte por emaranhamento ou amputação de crias e adultos, por usarem linhas de pesca, redes e outros materiais plásticos na construção dos seus ninhos.

Curiosidade: Os Guinchos são incomuns entre as aves de rapina pelo facto de possuírem dois dedos exteriores reversíveis em vez de um, agarrando, portanto, as suas presas com dois dedos à frente e dois atrás. As almofadas das patas são ásperas e farpadas, para não permitirem que a refeição escorregadia lhes escape entre os dedos.

O trabalho da Biosfera

A Biosfera integra um trabalho de marcação de adultos e crias com anilhas coloridas e metálicas, que desde 2012 conta já 86 indivíduos. Estes trabalhos tem como objectivo conhecer melhor a biologia de reprodução da espécie, bem como os seus movimentos e distribuição no arquipélago. Todos os avistamentos de indivíduos marcados são uma informação útil para a Biosfera, portanto se encontrar algum Guincho com uma anilha colorida com números e letras inscritos (como o que vê na imagem) por favor reporte para geral@biosfera1.com. Tratando-se de uma espécie emblemática, temos também trabalhado no sentido de sensibilizar a população cabo-verdiana contra o roubo de ovos e de crias no ninho, uma vez que ninhos acessíveis estão bastante propensos a este tipo de atividade. Ao longo dos anos, a Biosfera tem recuperado animais roubados dos ninhos ou feridos que nos são entregues pela população e que são posteriormente devolvidos à Natureza.

Facebook
Twitter
YouTube
Instagram
pt_PTPortuguês
en_GBEnglish (UK) pt_PTPortuguês